segunda-feira, 16 de julho de 2018

Henrique Meirelles (MDB) recebe oração para sua pré-candidatura à Presidência da República nas eleições 2018 na sede AD-Belém SP


A imagem pode conter: 3 pessoas
Em culto com lideranças da Assembleia de Deus do Belém, na capital paulista, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB) recebeu, nesta segunda-feira, 16, oração e apoio para sua pré-candidatura à Presidência da República nas eleições 2018.
O presidente da igreja, pastor José Wellington Bezerra da Costa, pediu orações da igrea à Henrique Meirelles; "Ao meu ver, ele é um candidato em potencial para ser o nosso futuro presidente da República", afirmou o pastor, dizendo acreditar que, depois do pleito de outubro, o País vai dar um "salto" de desenvolvimento.
O pastor presidente falou da capacidade de o ex-ministro em crescer na disputa eleitoral: "Capacidade administrativa ele tem, já demonstrou, de finanças ele conhece tudo, de maneira que para o momento do Brasil seria o homem ideal
Meirelles subiu ao púlpito do templo ao lado do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Ronaldo Fonseca, que é membro da Assembleia de Deus.
A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e área internaApós o discurso do pastor, o ministro Ronaldo Fonseca disse que, no meio dos evangélicos, os pastores não obrigam os fiéis a votar em ninguém, mas "orientam" sobre a melhor escolha. "Não é hora de aventura, não é hora de querer brincar com esse momento do nosso País", disse Fonseca.
Em sua fala, Meirelles pediu oração por ele e pelo País. O pré-candidato destacou seu trabalho no Ministério da Fazenda e disse que, "com fé e determinação" foi possível tirar o País da recessão.
"Esta palavra, esses princípios de retidão, honestidade, tudo na minha vida foi pautado por isso", destacou o ex-ministro. "Nunca houve uma acusação, uma palavra porque meus princípios de austeridade, de retidão são como os princípios ensinados pelo pastor José Wellington."
A jornalistas, ele disse que foi convidado para o culto e, como cristão, segue os mesmos princípios dos evangélicos.
Fonte Estadão

Nenhum comentário: