Livramento em atentado gera esperança e perdão

Responsável pelo crime pede perdão a líder cristão na República Centro-Africana

A Portas Abertas contou a história de três crianças que perderam as pernas em um incidente com três granadas em uma igreja da República Centro-Africana. Jeovanni deu seu testemunho de como conseguiu seguir em frente, apoiado por uma bengala e sobre pernas artificiais. Mas o milagre foi além do restabelecimento físico, chegando ao coração do cristão quando ele decidiu perdoar o extremista muçulmano que lançou o dispositivo na igreja. Esse ato contagiou até o pastor.

“Foi apenas pela graça de Deus que nada sério aconteceu comigo naquele domingo. Tinha outro pastor que convidamos para pregar naquele dia. Ele estava em pé perto de mim quando a granada explodiu. Estilhaços atingiram a cabeça dele e até hoje tem problemas. Mas eu escapei sem sérios ferimentos”, relembra o líder cristão.

O ataque atingiu mais de 37 crianças, deixando muitas feridas e algumas mortas. Mas ele não foi capaz de impedir que os pequenos cristãos retornassem à escola dominical. O fato de a maioria das vítimas serem jovens chocou o país. Um dia, o pastor da igreja recebeu uma ligação de um homem se intitulando coronel do exército muçulmano. “Ele me disse: Pastor, eu quero pedir perdão. Eu fiquei chocado, porque só pensava nas mortes e nos ferimentos das crianças”, conta.

No primeiro momento, o líder cristão não aceitou o pedido, mas após contar sobre a ligação ao pequeno Jeovanni, ele foi constrangido a mudar de atitude: “O jovem garoto que perdeu as duas pernas me disse: Pastor, os perdoe. Pastor, você deve perdoá-los”. Então, ele retornou a ligação ao responsável pelo ataque e descobriu que tudo foi um acidente. Eles queriam atingir outra igreja frequentada por alguém do governo.

O líder cristão aproveitou a conversa para enfatizar que mesmo a outra igreja era feita de pessoas e nada justificava o ataque. “Nós somos criados à imagem de Deus. Meu desejo é que Deus perdoe você. Vamos virar a página”, explicou o pastor ao líder extremista.

Os sonhos permanecem

Dieu Fera também teve seu futuro alterado pelo ataque. Quando a granada caiu próximo ao pé, o calcanhar do garoto foi arrancado. Após ser socorrido por um dos irmãos mais velhos, ele foi levado para casa e depois ao hospital, onde teve uma das pernas amputadas.

“Eu não tenho mais duas pernas, mas gosto de jogar futebol com meus amigos. Eu sou muito bom nisso, porque jogo todos os dias, estou ficando cada vez melhor”, conta.

Steven também está aprendendo a viver sem a perna. Não deixa de jogar bola todo dia e sonha em ser um governante no futuro para poder “ler documentos e tomar decisões”. Para concretizar esse sonho, ele conta também com a Portas Abertas no pagamento das despesas escolares, como a compra de material, livros e mochila. O investimento na vida do jovem tem dado frutos eternos: “Eu os perdoo por atirarem a granada, porque eles não sabem o que  estavam fazendo. O que eles fizeram foi muito ruim, mas eu não posso ter raiva”, conclui.

Pedidos de oração

– Agradeça a Deus por ajudar esses três garotos a perdoar as pessoas que atacaram a igreja deles.
– Ore para que Deus os ajude a viver bem, mesmo sem as pernas, e que lhes dê o que precisam para seguir em frente.
– Agradeça porque Steven e Dieu Fera são bons jogadores de futebol e por Jeovanni ser um bom estudante.

fonte Portas Abertas / CPAD News

 

Aguinaldo Lopes

Aguinaldo Lopes


Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *