Depressão

Conforme define a OMS Organização Mundial de Saúde, a depressão é uma doença psiquiátrica, crônica e recorrente que produz tristeza profunda, amargura, desencanto, desesperança, baixo-autoestima, culpa, distúrbios do sono e do apetite.

É de suma importância que partamos do pressuposto de que depressão é uma doença para que tenhamos uma compreensão adequada sobre este tema. Ressalto que é condição indispensável que partamos da premissa de que a depressão é uma doença, pois tenho me deparado com cristãos que afirmam com veemência que a depressão está relacionada exclusivamente com questões espirituais, negando aspectos genéticos, emocionais, biológicos e neuroquímicos, que abrangem a realidade de um quadro depressivo.

Há também na sociedade secular, por parte de muitas pessoas um preconceito em se admitir que o indivíduo, está depressivo, pois na contemporaneidade valoriza-se o vigor físico, o ter em relação ao ser, há o conceito de que ser bem sucedido é ter bens materiais. Devido a estes fatores a depressão é vista por muitos como uma doença que atinge s fracos, e o que agrava a situação é que muitos depressivos são responsabilizados pela doença que os acometeu, frases tais como: deixa de moleza, levanta a cabeça, você tem que ser forte, isso é frescura, entre outras, comumente são usadas para pessoas que sofrem com depressão.

Há evidências científicas que mostram alterações químicas no cérebro do individuo deprimido. Ocorre no cérebro de uma pessoa deprimida uma baixa nos níveis de alguns neurotransmissores, sendo os principais deles: dopamina, serotonina e noradrenalina. Estes componentes químicos do cérebro que fazem a comunicação entre os neurônios na região das sinapses são os responsáveis pelo bom humor, sensação de bem estar, tomada de iniciativa, entre outros comportamentos essenciais para que tenhamos uma boa qualidade de vida. Estas alterações ocorrem por questões multifatoriais negando assim a falsa ideia por parte algumas pessoas de que o deprimido é responsável pela situação em que se encontra.

Outra questão que é de suma importância que seja esclarecida é que a depressão é classificada pela psiquiatria em 3 graus, são eles: leve, moderada e grave. O que definirá o grau da depressão são os sintomas relatados pelo individuo para o profissional da área da sua mental, dependendo da quantidade, intensidade e recorrência dos sintomas, o profissional dará o diagnóstico. O profissional habilitado para dar o diagnóstico do grau e do tipo de depressão é o médico psiquiatra.

 

Tristeza Momentânea x Depressão  

Nos dias atuais tem se tornado comum as pessoas ficarem tristes por diferentes motivos e proferirem a seguinte frase: hoje estou deprimido. Mas para a medicina há diferenças entre tristeza transitória e um quadro depressivo.

Tristeza momentânea normalmente está relacionada a um sentimento passageiro que surge devido às perdas, situações que vivemos no cotidiano, mas logo a pessoa encontra uma forma de superá-la.

Não há como passarmos por esta vida sem ficarmos tristes no âmbito transitório, em algum momento este sentimento se fará presente em nossa realidade e vale ressaltar que muitos são os fatores que podem desencadear o sentimento de tristeza no ser humano. O próprio Jesus disse que no mundo teríamos aflições ……. O sábio Salomão, inspirado pelo Espírito Santo em Eclesiastes três escreveu que há um tempo determinado para todas as coisas, dentre os muitos tempos descritos por Salomão a o tempo de chorar, ou seja, não há como viver sem a presença deste sentimento em alguns períodos da existência humana.

Mas quando se aborda a tristeza momentânea, fala-se de um sentimento que pode durar, minutos, horas ou até alguns dias, mas este sentimento logo passará.

Diferente deste sentimento passageiro há a depressão. No quadro de depressão, a tristeza não tem fim, o humor permanece abatido por vários dias seguidos, além de haver desinteresse por atividades que outrora davam prazer.

Não adianta pronunciar frases de encorajamento ou alguns jargões que costumamos dizer as pessoas com depressão, como, levante a cabeça, você tem que se esforçar, precisa ter mais fé, chega de moleza e etc. Normalmente estas frases tendem a deixar o deprimido em uma situação pior do que a que ele já se encontra, pois o individuo passa a ser sentir culpado pela situação em que se encontra. Fica subentendido em frases desta natureza que o sujeito está sendo mole, não se está se esforçando o suficiente para sair daquele quadro, não está tendo fé suficiente, entre outros sentimentos que frases deste cunho podem despertar, por isso, o ideal que não se utilize estes jargões na tentativa de ajudar uma pessoa que sofre com depressão.

Psicólogo: Vinícius Carlos da Silva

CRP: 06/115803

Aguinaldo Lopes

Aguinaldo Lopes


Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *