Governador Dória classifica as igrejas como atividades essenciais em todo o Estado de São Paulo durante a pandemia

156042240_3631246326923419_7664302054573378294_o
156121924_3631246726923379_5324666426663298608_o
156258708_3631247460256639_2892984725353234363_o
156440787_3631246256923426_1820870739740509682_o
156491865_3631244903590228_4689188590261029358_o

Nesta segunda feira 1/3 o governador João Doria assinou um decreto, que fora publicado nesta terça-feira, 2, no Diário Oficial, que classifica as igrejas como atividades essenciais em todo o Estado de São Paulo durante a pandemia. Ele explicou que pretende transformar o decreto em lei “para que fique claro que as igrejas têm uma função essencial”.

“Amanhã o decreto será publicado e vamos transformar isso em lei. Igreja, de qualquer natureza, tem uma função essencial, mas não está desobrigada a seguir as orientações sanitárias. As igrejas de qualquer religião têm um papel essencial. Todos sabem que eu sou católico e a oração ajuda muito a aumentar a resiliência e esperança em relação ao futuro”, explicou.

Ele reforçou que os templos deverão seguir medidas sanitárias como ocupação limitada dos assentos, distanciamento social, aferição da temperatura na entrada e uso obrigatório de máscaras.

A Deputada Estadual Marta Costa, da AD-Belém acompanhou esta divulgação e se pronunciou dizendo “Vitória do povo de Deus!!!! A Igreja passa a ser vista como um serviço essencial, como: hospitais, mercados e farmácias, até porque a Igreja é um hospital para curar feridas da alma; um mercado onde encontramos alimento espiritual e farmácia onde Deus tem um remédio para a nossa vida e que pode nos curar”.

O pastor José Wellington Bezerra da Costa Presidente de honra da CGADB e presidente da Confradesp e AD-Belém comentou ao JNS que a igreja cumpre o seu papel diante da sociedade e que segue os critérios estabelecidos pela vigilância sanitária e que Deus tem a cura para todas as doenças.

Pelo Twitter, o pastor Silas Malafaia, presidente da Assembleia de Deus, parabenizou o governador pela decisão. “Temos discordâncias políticas. Reconhecer as religiões como atividade essencial, dentro das normas sanitárias, você acertou!”, escreveu.

Nota da Redação: o site da ISTO É, fez uma publicação referente ao assunto, publicando uma foto antiga de um batismo na sede da AD-Belém onde estava lotada, o que não condiz com a realidade da igreja neste momento.

Crédito: Lalo de Almeida

 

Fotos Equipe de  Comunicação Marta Costa

Aguinaldo Lopes

Aguinaldo Lopes


Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *